quinta-feira, 17 de agosto de 2017

O FIASCO DE LULA AO VISITA O NORDESTE



O FIASCO DE LULA AO VISITA O NORDESTE 

https://www.youtube.com/watch?v=ziK_8rV1JBM

Deputado Paulo Azi acompanha prefeito de Barrocas até o Ministério dos esportes em Brasília



Na quarta-feira, 16, em Brasília, o deputado federal Paulo Azi levou o prefeito de Barrocas até o Ministério dos Esportes, "resolvendo de vez o tão sonhado estádio de futebol de Barrocas. Agora vai!", conforme matéria publicada na página do Jai no Facebook.


A construção do Estádio Municipal, iniciada na primeira gestão do ex-prefeito José Almir, encontra-se bastante adiantada, mas não pode ser concluída por várias dificuldades enfrentadas.



"A obra iniciada em abril de 2011 está paralisada mais uma vez, já são incríveis 4 anos e 11 meses de muitas interrupções. Enquanto isso, o município de Barrocas continua sem ter um estádio de futebol". -  Jornal @ Nossa Voz - Quinta-feira, 03 de maio de 1916.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Cármen tem boas notícias para Moro e péssimas para Lula


15/08/2017

Sérgio Moro e Cármen Lúcia, presidente do STF, se encontraram rapidamente em um evento promovido pela Jovem Pan, em São Paulo.

Moro já estava de saída quando decidiu voltar e cumprimentar a ministra.

Segundo a Veja, Cármen deu boas novas ao juiz federal e um trecho do diálogo foi:

MORO: “Ministra, estou preocupado com a votação da 2ª instância no STF”

CARMEN: “Meu posicionamento é o mesmo desde 2009”

MORO: “Me preocupo com o voto de outros ministros … o da sra. não”

CARMEN: ” Acho que você terá boas notícias.”


Prisão logo após condenação em 2ª instância

Caso as ‘boas notícias’ da ministra Cármen Lúcia sejam confirmadas, os condenados em segunda instância poderão ir diretamente para o xadrez […]

É o caso de Lula … se o TRF4 de Curitiba (2ª instância) confirmar a sentença do juiz Sérgio Moro, o ex-presidente vai se lascar!

Prefeito faz mais uma viagem a Brasília

Foto: Reprodução
Prefeito José Jailson embarcou para Brasília nesta terça-feira

O prefeito do Município de Barrocas, José Jailson de Lima Ferreira, filiado ao PMDB, voltou a viajar para o Distrito Federal neste terça-feira (15). Numa rede social, o gestor justificou a viagem e, como sempre, citou o deputado federal Paulo Azi (DEM) como 'interlocutor' das ações que busca para o município.

"Cumprindo com o ofício de prefeito, mais um embarque para Brasilia, a fim de acelerar a obra do estádio de futebol para atender nossos amigos desportistas, agilizar mais uma emenda do deputado Paulo Azi para compra de duas ambulâncias para dar mais conforto e segurança ao povo na saúde e pedir urgência na liberação do posto de saúde de Minação. Além de outras demandas importantes para Barrocas...", concluiu o prefeito.  

Os motivos da viagem, apontados pelo prefeito são de grande importância para o município...


@ Nossa Voz - Por Rubenilson Nogueira

(Os destaques são nossos).

Leia na íntegra aqui


segunda-feira, 14 de agosto de 2017

LULA VIVE UMA SITUAÇÃO RIDÍCULA.


O ex-presidente Lula sabe que se encontra em uma situação ridícula perante as pessoas de bom senso e a comunidade internacional. Criminoso já condenado e com outras condenações irrefutáveis a caminho, o petista trava um embate desesperador contra a justiça e os poucos setores da imprensa que não possuem qualquer dívida de gratidão para com o PT.

Lula sabe que é protagonista de fatos tão vergonhosos, de crimes absurdos e de falhas imperdoáveis. Seus defensores, tanto no meio político quanto na imprensa também estão calejados de saber sobre as maracutaias do criminoso barato que é o petista.


sábado, 12 de agosto de 2017

Papa Francisco reage contra a ideologia de gênero, "Deus criou homem e mulher", revoltando ativistas LGBT


O Papa Francisco disse que ensinar crianças a escolher seu próprio gênero é "terrível" e o "exato oposto" da criação de Deus.

Na presença de bispos poloneses durante a Jornada Mundial da Juventude na semana passada , Francisco falou de forças poderosas na cultura que financiam o avanço da "teoria de gênero". O papa também teria falado sobre este assunto com seu antecessor, o Papa emérito Bento XVI, que lhe disse: "Sua Santidade, vivemos na era do pecado contra Deus, o Criador".

De acordo com o Catholic Herald na quarta-feira, Francisco disse aos bispos: "Hoje, as crianças são ensinadas na escola: que todos podem escolher seu próprio sexo. E por que eles ensinam isso? Porque os livros são provenientes dessas pessoas e instituições que dão dinheiro".

"Deus criou homem e mulher, Deus criou o mundo dessa forma e estamos fazendo exatamente o oposto", disse ele, chamando a escolha de gênero feita por crianças como algo "terrível".

As instituições influentes que apoiam isso estão explorando a criação de Deus, continuou dizendo o Papa, e o problema é global.

"Estamos vivendo em um momento em que a humanidade como a imagem de Deus está sendo aniquilada", continuou o papa, conectando o abuso do mundo natural com o abuso de seres humanos.

Ele sugeriu que ambos decorrem de uma "falta de apreciação da dignidade dada por Deus da humanidade", como relatou o Catholic Herald.

O grupo católico LGBT DignityUSA ficou chateado com as palavras do papa, com sua diretora executiva, Marianne Duddy-Burke, dizendo em uma declaração que a linguagem de Francisco era "lamentável" e que "coloca vidas em risco", de acordo com o jornal The Washington Post .

"O que muitos, incluindo o papa Francisco, ainda não entendem, é que as pessoas não "escolhem" seus gêneros. Um gênero é atribuído no nascimento, e algumas pessoas descobrem que foram "classificadas incorretamente", disse ela.

Logo após ser nomeado Papa, Francisco disse: "Quem sou eu para julgar?", quando foi perguntado sobre sacerdotes homossexuais, palavras vistas por muitos católicos liberais e LGBTs como sinal de uma mudança nos ensinamentos da igreja.

Tais crenças foram reforçadas pelo posicionamento do padre James Martin, um jesuíta, que ocupa um importante cargo de comunicação do Vaticano. Seu recente livro, "Building a Bridge: como a Igreja Católica e a Comunidade LGBT podem entrar em um relacionamento de respeito, compaixão e sensibilidade", argumenta a favor de uma maior inclusão LGBT e sugere que o catecismo oficial da igreja seja reformulado.

Ainda no início deste ano, o Papa Francisco publicou o seu tão aguardado artigo sobre a vida familiar e outras questões sociais. O documento pediu aos sacerdotes que fossem misericordiosos quando considerassem quem deveria receber comunhão, incluindo católicos divorciados e ressurgidos, mas rejeitou categoricamente a ideia de casamento entre pessoas do mesmo sexo.

"Não há absolutamente nenhuma razão para considerar as uniões homossexuais de qualquer forma semelhantes ou mesmo remotamente análogas ao plano de Deus para casamento e família", diz o documento. Da mesma forma, em sua encíclica papal Laudato Si, publicada em junho de 2015, o Papa associou a "teoria do gênero" com a exploração econômica.

Embora a encíclica tenha se concentrado na ameaça das mudanças climáticas e da degradação ambiental, Francisco também escreveu criticamente no documento sobre o desejo de "cancelar a diferença sexual", observando que "pensar que nós desfrutamos do poder absoluto sobre o nosso próprio corpo gira, muitas vezes subtilmente, no pensamento que desfrutamos do poder absoluto sobre a criação".

Comentário:

As declarações do Papa Francisco contra a ideologia de gênero, bem como contra o casamento homossexual, surge como um alívio para muitos católicos e líderes religiosos de modo geral, incluindo outras religiões.

Para os católicos, por não terem que lidar com um líder herege da própria doutrina, capaz de ignorar fatos óbvios não apenas no âmbito da sua fé, mas também da ciência. Para os líderes das demais religiões, devido à representatividade e influência que Francisco possui na sociedade mundial como um todo.

O posicionamento do Papa Francisco veio tarde. Diga-se de passagem, muito tarde. Em todo caso, antes tarde do que nunca. Com isso, o líder da Igreja Católica Romana parece ter compreendido a gravidade do contexto cultural pelo qual a civilização está passando, no que diz respeito a concepção de família principalmente.

Com essas declarações, o Papa deixa claro que inclusão, respeito e tolerância não devem ser confundidos com a aceitação incondicional de tudo que se apresenta como "normal". No âmbito da doutrina religiosa, a barreira da aceitação incondicional esbarra no ensino doutrinário, que, no caso do cristianismo bíblico, se trata do que a Bíblia ensina como a Verdade revelada por Deus acerca da criação.

Ainda que muitos não considerem o "peso" do posicionamento de Francisco pela perspectiva religiosa, por serem, por exemplo, ateus, sua fala encontra respaldo também na ciência, visto que a ideologia de gênero não possui fundamentação científica, motivo pelo qual é tratada apenas como uma "ideologia". Sendo assim, quer pela religião ou pela ciência, o Papa Francisco acerta.

Finalmente, a diretora do grupo LGBT "DignityUSA" mente ao afirmar que pessoas são "classificadas incorretamente". Isso, porque, não há erro em associar os gêneros "homem" e "mulher" aos sexos "macho" e "fêmea", exatamente porque eles correspondem aos únicos dois sexos que existem e que são diferentes. Em outras palavras, ninguém nasce com o cérebro feminino em um corpo masculino, por exemplo. A ciência já refutou essa falácia.

A definição de "homem" e "mulher" é uma convenção linguística, como qualquer outra, baseada na necessidade de classificar a realidade.

Essa definição está baseada, sim, nas diferenças dos dois sexos, que são biologicamente irrefutáveis. Dessa forma, quando se afirma que esses gêneros estão associados ao sexo biológico, não se pretende negar a influência da cultura e o papel social desempenhado por ambos os gêneros, mas sim dizer que é natural e necessário que a classificação e - orientação - de gênero exista, compatível com o sexo, porque corresponde à sua natureza biológica, e não apenas com o produto de uma cultura.


Comentário: Will R. Filho

Igreja no Brasil celebra Semana Nacional da Família

Folder Semana Nacional da Família 2017 /
Crédito: Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF)
REDAÇÃO CENTRAL, 11 Ago. 17 (ACI).- “Família, uma luz para a vida em sociedade”, com este tema tem início no próximo domingo a Semana Nacional da Família no Brasil, que segue até o dia 19, um momento para “olhar para esse dom de Deus”, conforme indicou Dom João Bosco Barbosa de Sousa.

De acordo com o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e Bispo de Osasco, “a Semana Nacional da Família vem crescendo a cada ano” e chega a sua 26ª edição.

“Muita gente pensa que a família é um problema, que família é crise, algo que prende a liberdade das pessoas. Pelo contrário, família liberta, é um dom de Deus, deve ser o nosso grande motivo de agradecimento ao Deus de amor. A família é o lugar do amor”, ressaltou Dom João Bosco ao site da Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF).

De acordo com o Prelado, a intenção é que a Semana Nacional da Família seja um momento de aprofundar as grandes questões que envolvem a família no mundo de hoje. “E as comunidades todas se unem, refletem, estudam, rezam, celebram na Semana Nacional da Família esse grande dom de Deus”.

Em um recente artigo sobre a Semana Nacional da Família, o Arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani Tempesta, deu algumas sugestões para que esta data seja celebrada, pedindo que “os movimentos familiares, encontristas, equipistas e em conjunto com o Setor ou Dimensão da Família e seus vários aspectos da Pastoral familiar trabalhem unidos para testemunhar a vida da família cristã nos tempos atuais”.

O Purpurado recordou que a Igreja no Brasil lança anualmente um subsídio para esta semana, o Hora da Família, que traz a sugestão de “um tema com oração e com reflexão para cada dia”.

Neste ano, os temas sugeridos são: O perfil mariano da Igreja; A família; A necessária mudança de mentalidade e de estrutura; Igreja, comunhão na diversidade; O perdão na família: fonte de reconciliação e libertação; Serviço cristão no mundo; A família promotora da misericórdia na sociedade.

“Além dos tradicionais encontros celebrativos para o Dia das Mães e o Dia dos Pais, o Hora da Família 2017 traz uma sugestão de Leitura Orante (Lectio Divina) com o tema “Valor e virtude do amor”, a partir do texto bíblico de 1Cor 13. Lembremos das palavras proféticas de São João Paulo II: ‘o futuro da humanidade passa pela família’”, reforça o Arcebispo.

Entre os diversos documentos nos quais estão baseadas as reflexões da Semana Nacional da Família, destaca-se a exortação apostólica do Papa Francisco Amoris Laetitia. Nela, como assinala Dom Orani, o Pontífice lembra que “a alegria do amor que se vive nas famílias é também o júbilo da Igreja”.

Recorda ainda, conforme o número 58 da mesma exortação, que “diante das famílias e no meio delas, deve ressoar sempre de novo o primeiro anúncio, que é o ‘mais belo, mais importante, mais atraente e, ao mesmo tempo, mais necessário’ e ‘deve ocupar o centro da atividade evangelizadora’”.