sábado, 6 de fevereiro de 2016

Pediatras: “Viver com casais homossexuais pode prejudicar as crianças”

Presidente da Sociedade Italiana de Pediatria insta legisladores a considerar os interesses das crianças, que podem sofrer repercussões psicológicas e relacionais quando privadas das figuras materna e paterna.

O presidente da mais importante associação de pediatras italianos observa ainda que “a maturidade psicológica de uma criança exige um percurso correlacionado com a qualidade dos vínculos emocionais na família e com os coetâneos. A qualidade das relações humanas e interpessoais, bem como o nível de estabilidade emocional e a segurança social de uma criança são consequências de um amadurecimento psicoafetivo harmonioso”.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Juiz Federal Sérgio Moro já tem sinal verde pra colocar LULA na cadeia, entenda…

A DENÚNCIA MAIS DEVASTADORA CONTRA LULA! o Cristalvox, por justiça e reverência ao jornalismo destemido do Diogo e do Mário republica e busca “trabalhar” a cabeça dos incrédulos que o PT não passa de uma organização criminosa.

Se você leu distraidamente o post anterior, releia-o, por favor.

Trata-se da denúncia mais devastadora contra Lula até agora.

O relato de Fernando Baiano mostra que:

1 – Lula decidiu nomear Nestor Cerveró para a BR Distribuidora.

2 – Ele só lhe deu o cargo porque Cerveró repassou 60 milhões de reais em propina para sua campanha presidencial.

3 – Lula tinha conhecimento da propina do Banco Schahin.

4 – José Carlos Bumlai, que negociou a propina do Banco Schahin, negociou também – diretamente com Lula – a recompensa a Cerveró.

5 – Lula sabia que Cerveró era um operador de propinas e, exatamente por isso, nomeou-o à BR Distribuidora.

Lula deu a Nestor Cerveró a diretoria da BR Distribuidora.

Quem negociou o cargo foi José Carlos Bumlai, diretamente no Palácio da Alvorada.

Lula deu a diretoria da BR Distribuidora a Nestor Cerveró como forma de agradecimento pela propina do navio-sonda Vitória 10.000, que quitou as dívidas da campanha de Lula com o Banco Schahin.

O relato desse episódio, segundo o Estadão, foi feito por Fernando Baiano.

Diz o jornal:

“Baiano diz que procurou Bumlai entre fim de 2007 e início de 2008, com pedido de ajuda para manter Cerveró na Diretoria Internacional da Petrobrás, cargo que ele ocupava desde 2003. A articulação fracassou, mas, na mesma época, ele disse ter recebido um telefonema do pecuarista no qual Bumlai afirmou estar no Palácio da Alvorada, onde teria conversado com o então presidente Lula sobre o assunto.

‘José Carlos Bumlai telefonou para o depoente e disse-lhe que estava em Brasília, ressaltando que tinha conversado com Lula e que não tinha mais como manter Nestor Cerveró na Diretoria Internacional’, relatam os investigadores da Lava Jato a partir do depoimento de Baiano. ‘Na mesma ocasião, Bumlai informou que, em razão da ajuda de Cerveró na contratação do Grupo Schahin para operação do navio-sonda Vitória 10.000, ele havia sido indicado para o cargo de diretor financeiro da BR Distribuidora’”.

(Via Cristal Vox)

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Que país o nosso, não é mesmo? Em que abismo nos metemos!

A presidente Dilma Rousseff foi ao Congresso nesta terça-feira levar a sua mensagem. Foi vaiada por parlamentares da oposição e da situação. Fez o que disse que não faria: defendeu a criação da CPMF. Também acenou com a reforma da Previdência — contra a qual seu partido milita abertamente. Pediu ajuda do Congresso em favor de um projeto de crescimento. Qual? A gente desconhece a agenda — na hipótese de haver uma.

Ali estava, vamos dizer, a herança dos últimos 13 anos da política brasileira, entrando no 14º. A líder que falava transgrediu os Artigos 10 e 11 da Lei 1.079 e, por isso, tramita na Câmara dos Deputados uma denúncia contra ela que pode resultar no impeachment.

Aquela que pedia o apoio do Congresso para sabe-se lá o quê tem hoje um único plano de governo: não cair. Para tanto, fez e faz o diabo com a máquina pública. O loteamento miserável existente na área de Saúde, num país em que os mosquitos já decoram até a página oficial do governo, é testemunho da qualidade da gestão.

Mas aquela Dilma que falava sobre coisa nenhuma, visando exclusivamente à manutenção do cargo, tinha na audiência, entre outros, o presidente da Câmara e o presidente do Senado.

O primeiro já foi denunciado ao Supremo pela Procuradoria-Geral da República. É investigado em três inquéritos. Todas as justificativas que apresentou foram para o ralo. Nesta terça, diga-se, um aliado seu deu um jeito de apelar a mais um firula regimental para fazer o processo no Conselho de Ética da Câmara voltar à estaca zero. Melhor para Dilma. Enquanto ele fica lá, ela se finge de sua vítima.

E lá estava também Renan Calheiros, presidente do Senado e do Congresso Nacional. Há seis inquéritos contra ele na Lava-Jato — que, curiosamente, andam a passos de cágado.

A presidente fez bem, sim, em ir ao Congresso. Afinal, quem lidera uma reunião do tal Conselhão — onde nada se decide — tem de ir pessoalmente falar com aqueles que têm voto. Sabia que poderia ter uma reação algo hostil, como houve. E não há nada de errado nisso. É só a democracia. Procurem na TV como reagem os deputados do Reino Unido quando o primeiro-ministro vai ao Parlamento para enfrentar o líder da oposição, ambos com o dedo em riste.

O que a gente tem de lamentar, aí sim, é que a presidente estava lá, com um suposto — na verdade, inexistente — plano contra a crise econômica, mas o que se via era apenas o retrato perfeito da crise moral, da crise ética e da crise de credibilidade. Poderia ser o prenúncio de alguma coisa. Mas não é nada. A reunião serve, isto sim, para um ensaio acadêmico sobre a pouca efetividade do Código Penal no Brasil.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Você sabe como se capturam porcos selvagens? Não?


Havia um professor de química em um grande colégio com alunos de intercâmbio em sua turma. Um dia, enquanto a turma estava no laboratório, o professor notou um jovem do intercâmbio que continuamente coçava as costas e se esticava como se elas doessem. O professor perguntou ao jovem qual era o problema. O aluno respondeu que tinha uma bala alojada nas costas, pois tinha sido alvejado enquanto lutava contra os comunistas de seu país nativo que estavam tentando derrubar o governo e instalar um novo regime, um “outro mundo possível”.

No meio da sua história, ele olhou para o professor e fez uma estranha pergunta: - “O senhor sabe como se capturam porcos selvagens?

- “O professor achou que se tratava de uma piada e esperava uma resposta engraçada.

O jovem disse que não era piada.

- “Você captura porcos selvagens encontrando um lugar adequado na floresta e colocando algum milho no chão. Os porcos vêm todos os dias comer o milho gratuito. Quando eles se acostumam a vir todos os dias, você coloca uma cerca, mas só em um lado do lugar em que eles se acostumaram a vir. Quando eles se acostumam com a cerca, voltam a comer o milho

e você coloca um outro lado da cerca. Mais uma vez eles se acostumam e voltam a comer. Você continua desse jeito, até colocar os quatro lados da cerca em volta deles, com uma porta no último lado. Os porcos, que já se acostumaram ao milho fácil e às cercas, começam a vir sozinhos pela entrada. Você então fecha a porteira e captura o grupo todo.”

- “Assim, em um segundo, os porcos perdem sua liberdade. Eles ficam correndo e dando voltas dentro da cerca, mas já foram pegos. Logo, voltam a comer o milho fácil e gratuito. Eles ficaram tão acostumados a ele que esqueceram como caçar na floresta por si próprios, e por isso aceitam a servidão.”

O jovem, então, disse ao professor que era exatamente isso que ele via acontecer neste país. O governo ficava empurrando-os para o comunismo e o socialismo e espalhando o milho gratuito na forma de programas de auxílio de renda, bolsas isso e aquilo, impostos variados, estatutos de “proteção”, cotas para estes e aqueles, subsídio para todo tipo de coisa, pagamentos para não plantar, programas de “bem-estar social”, medicina e medicamentos “gratuitos”, sempre e sempre novas leis, etc, tudo ao custo da perda contínua das liberdades, migalha a migalha.

Devemos sempre lembrar que “Não existe esse negócio de almoço grátis” e também que “não é possível alguém prestar um serviço mais barato do que seria se você mesmo o fizesse”.

Se você percebe que toda essa maravilhosa “ajuda” governamental é um problema que se opõe ao futuro da democracia em nosso país, vai mandar esta mensagem para seus amigos.

Mas se você acha que políticos e ongueiros pedem mais poder para as respectivas classes, para tirar liberdades e dinheiro dos outros com a intenção de beneficiar “você” ou “os pobres”, então você provavelmente vai deletar este email, mas que Deus o ajude quando trancarem a porteira!

Que tal refletir um pouco?

Milhares de famílias em defesa da família e contra o “matrimônio” gay em Roma

Milhares de pessoas em defesa da família (Roma).
Foto: Alexey Gotovskiy / ACI Prensa
Por Alvaro de Juana
Roma, 01 Fev. 16  (ACI).- Milhares de famílias se manifestaram no último sábado, 30, no “Circo Massimo” em Roma a fim de defender a família ante a intenção dos políticos italianos de aprovar uma lei que equipararia os casais homossexuais ao matrimônio natural homem-mulher. A lei “Cirinnà” pretende a legalização das chamadas “barrigas de aluguel” ou maternidade sub-rogada, assim como a adoção de crianças pelos homossexuais e a ideologia de gênero nas escolas.

O Comitê “Defendamos os nossos filhos” junto a numerosas associações pró-família, movimentos e novas comunidades da Igreja foram os encarregados de reunir dois milhões de pessoas, segundo a organização, contra esta lei.

Durante as últimas semanas, o Presidente da Conferência Episcopal Italiana, Cardeal Angelo Bagnasco, também convidou a participar a fim de mostrar o desacordo com os políticos que querem aprovar esta lei na próxima semana. De fato, o que há algumas semanas era organizado como um encontro de católicos se transformou logo em um evento civil, através do qual outras confissões religiosas e inclusive não crentes também mostraram seu apoio.

O responsável pela organização e liderar o ato foi Massimo Gandolfini, importante médico que luta contra a chamada teoria ou ideologia de gênero há vários anos. “Somos muitíssimos, muitos mais do que pensávamos ser em um princípio”, expressou em um momento do encontro. “Esta praça não está contra ninguém”, mas contra uma lei que “não foi aceita desde a primeira até a última palavra”, destacou.

“Poderíamos fazer uma operação de maquiagem, mas deve ser totalmente eliminada, não trocar algumas palavras, nós dizemos franqueza”, assinalou enquanto as pessoas o aplaudiam.

Segundo o médico, caso permaneçam renegando a família natural “mais as famílias deixaram de existir, somente existiram modelos diversos, e as crianças serão as principais prejudicadas”, explicou.

Em seguida, recordou aos parlamentares que “todos nós nascemos de um pai e uma mãe” e “ não pertencemos a nenhum lobby, mas somos simples e pobres famílias sem ninguém para nos defender”. “Não queremos arrumar guerra com ninguém, apenas defendemos a família”, sublinhou.

Gandolfini ainda recordou “aos que acreditam em Jesus” que “nosso Senhor certamente não nos ensinou a ser violentos com ninguém, mas estamos aqui para reiterar que a dignidade humana deve ser respeitada. Este é uma praça que luta pela beleza da família e não contra as pessoas, mas contra as ideologias”, sublinhou novamente.

A respeito das “barrigas de aluguel”, o principal organizador do evento indicou: “as crianças não podem ser compradas” e logo mencionou que “a Europa renegou suas raízes judeu-cristãs”. “Queremos enviar-lhes uma mensagem: nós seguiremos todas as etapas de aprovação desta lei e veremos quem acolherá nossas indicações, nós nos lembraremos destas pessoas”, advertiu o Dr. Gandolfini aos políticos.

Ao final da sua intervenção, o médico assinalou que “o amor requer a complementaridade entre um homem e uma mulher, e somente através desta união surge a faísca da vida”.

Durante o encontro, aconteceram diferentes intervenções de peritos e testemunhos no palco, no qual estava escrito com letras grandes: “Proibido desmantelar a família”.

Por sua parte o diário oficial do Vaticano, L’Osservatore Romano, qualificou a manifestação de “participação ampla e transversal, expressão de todas as almas da sociedade italiana”.

No último dia 22 de janeiro, o Papa Francisco recebeu em audiência aos membros do Tribunal da Rota Romana, e lhes recordou que ”não pode haver confusão entre a família querida por Deus e outros tipos de união”. Tais palavras também foram recordadas neste sábado durante a manifestação.

Finanças: Demonstrativo de Arrecadação, mostra quanto Barrocas e cidades circunvizinhas receberam do Governo Federal em janeiro

Estação Ferroviária um dos símbolos do pequeno
Município de Barrocas - Bahia
Relacionamos os valores transferidos pelo Governo Federal aos municípios da Região do Sisal (outros), inclusive com adicionais e acréscimos legais, valores repassados no período de 01/01 a 31/01/16, dentre estes Barrocas, que segundo o IBGE tem pouco mais de 15.000 (quinze mil) habitantes, (dados do ultimo censo). v
A arrecadação do município administrado pelo Prefeito José Almir (PR) foi R$ 2.800.127,36 (Dois milhões, oitocentos mil, cento e vinte e sete reais e trinta e seis centavos), ficando assim na 10ª posição entre os municípios relacionados abaixo.

A cidade de Serrinha lidera a arrecadação com quase nove milhões de reais. Ichu é o município com menor arrecadação com pouco mais de um milhão.

1º - Serrinha – R$ 8.786.356,01
2º - Araci – R$ 7.405.031,11
3º - Tucano – R$ 6.635.422,10
4º - Conceição do Coité – R$ 6.145.861,05
5º - Santaluz – R$ 4.578.505,25
6º - Riachão do Jacuípe – R$ 3.638.086,27
7º - Teofilândia – R$ 3.509.341,60
8º - Valente – R$ 3.216.356,08
9º - Água Fria – R$ 2.801.969,18
10º - Barrocas - R$ 2.800.127,36
11º - Biritinga – R$ 2.747.695,72
12º - Retirolândia – R$ 1.724.001,50
13º - Lamarão – R$ 1.371.235,95
14º - Candeal – R$ 1.318.434,36
15º - Ichu – R$ 1.221.347,62

Por um bom tempo Barrocas ocupou a 9ª posição, porém perdeu o posto para o município de Água Fria que recebeu um pouco mais que o jovem município baiano emancipado em 2001.

@ Nossa Voz - Da Redação - Informações do PCS.

sábado, 30 de janeiro de 2016

Agricultores barroquenses encontram dificuldades no plantio da mandioca: "Tá faltando manaíba na região".

Foto: Reprodução
Segundo agricultores consultados pelo JANV, diante das constantes chuvas, a região vive o momento ideal para semear o solo; com o clima propício, dá para plantar de tudo, mas, especialmente, "o feijão de corda e a mandioca", como destacou a senhora Nilza, moradora da região de Nova Brasília.
Secretária Maria Lucenir
Porém, os agricultores têm enfrentado dificuldade para encontrar a manaíba, que é uma parte do caule da mandioca adulta. Manaíba ou manivas - São pedaços de caule de plantas adultas saudáveis, com 15 a 25 cm de comprimento e cerca de 2,5 cm de diâmetro. As manivas são colocadas em sulcos ou covas de 5 a 10 cm de profundidade.

Segundo a secretária de Agricultura Maria Lucenir, em outras ocasiões a manaíba vinda da cidade de Santo Antônio de Jesus, distante 202 quilômetros de Barrocas, adquirida em parceria com a Prefeitura Municipal de Barrocas, não adaptou-se ao clima e solo da região. "O que plantou não se desenvolveu". Para aproveitar o bom tempo e as chuvas, a Secretaria tem tentado adquirir a raiz em outras cidades da Região do Sisal; "caso alguma cidade como Serrinha, Teofilândia, Conceição do Coité,  etc. tiverem a manaíba, podemos trazer para plantar em Barrocas".

Cerealista Gelson da Farinha
Para o cerealista Gelson da Farinha, a cultura de produzir a própria farinha da mandioca está prestes a ser extinta na cidade. "Diante da ausência de mão de obra, tempo de espera e produção com baixo retorno financeiro, as famílias preferem comprar pronta", afirma o Gelson da Farinha. Sobre a manaíba deixou claro que a procura existe agora por um número 'razoável' de pessoas. 

Um dos derivados da mandioca, a farinha de mandioca, em estabelecimentos comerciais barroquenses variam de preço; o litro custa de R$ 1,50 a R$ 3,50 reais do produto trazido da cidade de Crisópolis-BA. Na feira-livre, às sextas e aos sábados, é fácil encontrar a goma, bolo de aipim e a bolacha de goma.
Poucas casas de farinhas comunitárias são vistas em funcionamento atualmente no município. A tradição vem perdendo forças, quando antigamente dezenas de mulheres em grupo passavam dias raspando, coando e preparando a goma para o beiju e diversos derivado da mandioca, dedicação que gerava emprego e renda nos povoados.
Foto: Arquivo
Conheça o inventor barroquense que resolveu o problema da falta de mão de obra na produção da farinha de mandioca. Veja aqui! Conheça a comunidade que conseguiu um curso para ensinar a trabalhar com os derivados da mandioca. Veja Aqui!

@ Nossa Voz da Redação - Victor Santos e Rubenilson Nogueira

Fonte: http://www.jornalanossavoz.com.br/