segunda-feira, 30 de maio de 2016

DUAS NOVAS OPERAÇÕES DA PF VÃO ESTREMECER O BRASIL. O MUNDO POLÍTICO VAI SACUDIR!


Duas novas operações da PF vão estremecer o Brasil. O mundo político vai sacudir! Rodrigo Janot e a força-tarefa da Lava Jato estão preparando duas mega operações que vão implodir o mundo político em Brasília e São Paulo

As operações serão chamadas de ‘Senatus’ e ‘do Barba’ [as fases não terão necessariamente esses nomes, mas os focos serão o SENADO e o ex-presidente LULA]

A 30ª fase da Lava Jato deverá ter como alvo principal o Senado Brasileiro, devido às delações de Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro e do ex-senador Delcídio do Amaral.

Ao menos quatro senadores estão na mira das operações: Renan Calheiros, Romero Jucá , Edison Lobão e Fernando Collor.

A PGR ainda não decidiu se pedirá ao STF autorização para prisões ou apenas condução coercitiva, o que incluirá mandados de busca e apreensão em gabinetes e residências.

O GOLPE DE MISERICÓRDIA

Já a 33ª da Lava-Jato será a mais bombástica .

De acordo com informações da Coluna Esplanada, essa operação irá cercar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o seu Instituto.

FONTE DA NOTICIA

http://www.diariodobrasil.org/duas-novas-operacoes-da-pf-vao-estremecer-o-brasil-o-mundo-politico-vai-sacudir/?R=1#

Bolsa Família perdeu R$ 2,6 bilhões com fraudes

NA FILA – Sem fiscalização eficiente, o dinheiro 
do contribuinte deixa de ir para quem precisa: 
é o “bolsa fraude”(ALEXANDRO AULER/VEJA)

Levantamento inédito mostra o volume de recursos desviado do programa. Funcionários públicos, mortos e até doadores de campanha estão entre os beneficiados

Daria para fazer quase 30 000 casas pelo programa Minha Casa, Minha Vida.

Somente entre 2013 e 2014, pelo menos 2,6 bilhões de reais do total da verba reservada ao Bolsa Família foram parar no bolso de quem não precisava.

A informação é resultado do maior pente-fino já realizado desde o início do programa do governo federal, em 2003.

Feito pelo Ministério Público Federal a partir do cruzamento de dados do antigo Ministério do Desenvolvimento Social com informações de órgãos como Receita Federal, Tribunais de Contas e Tribunal Superior Eleitoral, o exame detectou mais de 1 milhão de casos de fraude em todos os estados brasileiros.

O Bolsa Família, um valor mensal a partir de 77 reais por pessoa, é destinado exclusivamente a brasileiros que vivem abaixo da linha da pobreza.

A varredura mostrou, no entanto, que entre os que receberam indevidamente o auxílio no período estão funcionários públicos, mortos e até doadores de campanha.

Só de funcionários públicos foram 585 000 os beneficiários ilegais.

Em todos os casos, os contemplados ganhavam ao menos um salário mínimo (piso da categoria) e, segundo apurou o estudo, pertenciam a famílias com renda per capita acima de 154 reais – situação que os impediria de receber o benefício.

O fato de esses funcionários serem majoritariamente servidores municipais reforça a tese do Ministério Público de que esse tipo de fraude não dispõe de um comando centralizado.

“Nasce daquele microcosmo do município em que o cadastrador conhece quem está sendo habilitado e não tem interesse em realizar uma fiscalização correta sobre suas condições de pobreza”, afirma a procuradora Renata Ribeiro Baptista, que coordenou a pesquisa.

Os doadores de campanha ocupam lugar de destaque no ranking das categorias de fraudadores identificadas no estudo.

O Ministério Público encontrou 90 000 beneficiários do programa que, em 2014, doaram a políticos ou partidos valores iguais ou superiores aos recebidos do programa naquele ano e casos de grupos de dez ou mais beneficiários que transferiram verbas para um mesmo candidato.

O levantamento achou ainda beneficiários sem CPF ou com mais de um CPF, além de 318 000 beneficiários que eram donos de empresas.

Abrir uma empresa não significa necessariamente que alguém seja um sujeito de posses (o processo para constituir uma firma pode custar pouco mais de 200 reais), mas o Ministério Público acredita que poucos dos contemplados nessa situação conseguirão provar que vivem abaixo da linha da pobreza.

Os 2,6 bilhões desviados correspondem a 4,5% do total investido no programa no período e estão abaixo da média internacional, apontada pelo Banco Mundial, de 10% de desvios em programas sociais.

Para a procuradora Renata Baptista, porém, a estimativa do MPF é “conservadora”.

Segundo ela, muitas fraudes ficaram de fora do levantamento.

“Apenas servidores com quatro ou menos familiares entraram no estudo.”

O prejuízo ainda vai aumentar.

Isolada e esquecida, Dilma assiste o tempo passar


28/05/2016
A tendência de Dilma e se manter cada vez mais isolada.

Dilma Rousseff não preside, muito menos governa. Apenas assiste o tempo passar, nessa estranha interinidade determinada pelo processo do impeachment a que responde. Raramente pode ser vista pedalando sua bicicleta, em Porto Alegre ou Brasília. Se acompanha ou não as iniciativas de Michel Temer, é segredo. Ninguém garante. A verdade é que não se falam.

Aliás, são raros os telefonemas que Madame dá ou recebe, exceção dos próprios familiares. Mantém-se afastada de todos, a começar pelo Lula e as lideranças do PT. Ignora-se, até, se lê jornais ou escuta rádio. Aguarda-se para as próximas horas a divulgação de sua defesa, a cargo do ex-ministro da Justiça e ex-advogado Geral da União. Omitem-se ou são rejeitados os companheiros do antigo governo.

Há quem suponha, no atual interregno, a disposição da presidenta de mergulhar no esquecimento, indignada pelo abandono em que foi deixada. Existem, porém, os que identificam em sua atual postura a estratégia de contribuir para aumentar o tamanho do fosso existente entre sua presença anterior no governo e as características apresentadas pelo substituto. Ela não perdoa ter sido abandonada pelo antigo vice, ainda que nenhuma iniciativa tenha adotado para evitar o vazio em suas relações anteriores, antes que se caracterizasse o rompimento.

Numa palavra, condenada em definitivo como parece a projeção do processo de seu afastamento, ou por milagre reconduzida ao poder no final de 180 dias, como ainda acreditam alguns petistas, o destino de Dilma é seguir isolada e esquecida. Bem que poderia dedicar-se a escrever suas memórias…


domingo, 29 de maio de 2016

Investigação descobre 1000 funcionários fantasmas do governo Dilma: Recebiam sem trabalhar


O novo ministro da Secretaria de Governo [Geddel Vieira Lima] concedeu uma entrevista ao blog do Josias de Souza e ganhou as principais manchetes do país

De acordo com o ministro, o governo Dilma deixou um rombo de aproximadamente 200 bilhões de reais.

Além desse desfalque bilionário, Geddel disse que mil cargos [num único órgão] foram distribuídos para aparelhar a militância petista.

E esse é só o começo da investigação. Imagine o que virá por aí!

Abaixo, um trecho da entrevista:

“Segundo Geddel, o governo realiza um inventário do legado de Dilma. Afora o déficit vitaminado, ele mencionou algumas irregularidades já detectadas. Disse, por exemplo, que o PT explorava politicamente a distribuição de chaves do programa Minha Casa, Minha Vida, sob a responsabilidade do Ministério das Cidades. Mencionou também a existência de funcionários fantasmas na Secretaria de Governo, que era comandada pelo petista Ricardo Berzoini antes da sua chegada.

‘O PT estava aqui, na Secretaria, utilizando-se de cerca de mil cargos para aparelhar a sua militância política‘ disse Geddel

Esses militantes não trabalhavam?

Não trabalhavam. Estamos trabalhando na identificação desses processos’, finalizou o Secretário de Governo.

ODEBRECHT: CRESCE EXPECTATIVA PELA PRISÃO DE LULA

COM DELAÇÃO DE ODEBRECHT,
LULA ESPERA PRISÃO A QUALQUER MOMENTO
TEMENDO ODEBRECHT, LULA ESPERA PRISÃO A QUALQUER MOMENTO
Publicado: 29 de maio de 2016.
As relações promíscuas com a Odebrecht, agora expostas pelas investigações da Lava Jato, metem tanto medo nos políticos que até dão garantia ao mais poderoso deles, o ex-presidente Lula, de que será preso. Isso ficou claro numa das gravações do ex-senador Sergio Machado, quando o presidente do Senado, Renan Calheiros, conta ter ouvido do próprio Lula a certeza da sua prisão “a qualquer momento”. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

As gravações também revelam um Renan Calheiros convicto do envolvimento de Dilma com a empreiteira que mais roubou o País.

O medo da língua de Marcelo Odebrecht, segundo Delcídio do Amaral, fez Dilma nomear um ministro para STJ sob o compromisso de soltá-lo.

Segundo fontes ligadas à Lava Jato, Marcelo Odebrecht tem oferecido elementos de prova capazes de prender toda a “república petista”.

Na Operação Janus (nada a ver com Lava Jato), o MPF investiga Lula por tráfico internacional de influência, a serviço da Odebrecht.

O tiro saiu pela culatra

Articulação contra a Lava-Jato teve efeito contrário: em lugar de extinguir ou enfraquecer a operação, fortaleceu-a.

Zuenir Ventura, o GLOBO
Antes de mais nada, talvez fosse o caso de propor um Prêmio Esso, na categoria revelação, para o gravador, mesmo sabendo que ele não gosta de aparecer. Afinal, os maiores furos jornalísticos destes últimos tempos foram desse aparelhinho invisível e diabólico. Basta lembrar o grampo de Sérgio Machado em Romero Jucá e agora em Renan Calheiros e José Sarney, sem falar no registro da famosa conversa entre Lula e Dilma.

Depois das delações premiadas, ele tem sido o maior colaborador de Sérgio Moro nas investigações da Lava-Jato. A sério, gostaria de ver uma matéria explicando como ele age escondido — onde fica o microfone? Como fazer para o interlocutor não perceber? Quais os disfarces usados pelo operador?

Com seu trabalho anônimo, ele tem mostrado aspectos desconhecidos e até inconfessáveis de vários políticos e empresários. Deve haver muitas figuras da República discutindo o desempenho nesses áudios. “De você, ele só falou mal; a mim, ofendeu e assim saí melhor na foto”.

Sim, porque nessas gravações, falar mal às vezes faz bem e pode até melhorar a reputação do citado. O que compromete é o elogio. Nesse item, o ministro do STF Teori Zavascki e o procurador da República, Rodrigo Janot, foram os que mais ganharam prestígio e respeito (Moro é hors-concours). O primeiro foi considerado de difícil acesso e o segundo, xingado de “mau-caráter” por Machado e Renan.

Mais grave, porém, foi a descoberta do complô para atingir a Lava-Jato sob a alegação de que o mundo político estaria a perigo e com muito medo. Na verdade, mais do que acabar com a operação, o objetivo seria enquadrá-la, domesticá-la, limitando seu poder de ação.

Para isso, a providência mais importante seria mudar a lei de delação premiada, responsável pela explosão de uma bomba atrás da outra. A maior ironia dessa conspiração é que o tiro saiu pela culatra: o efeito produzido foi o contrário do pretendido.

Em lugar de extinguir ou enfraquecer a Lava-Jato, fortaleceu-a, garantindo a sobrevivência e até mesmo o reforço da operação comandada por Sérgio Moro, pois os que foram apanhados arquitetando na sombra um plano contra ela tiveram que vir a público prometer defendê-la, como o senador Renan, que, logo após a divulgação dos grampos, lançou nota declarando que as investigações da força-tarefa são “intocáveis”.

Entretanto, a palavra mais confiável, essa, sim, capaz de tranquilizar a sociedade, é a do ex-ministro do STF Ayres de Brito, garantindo que um “acordão” esbarraria na “vontade popular”. Além do mais, ele afirmou, “a Lava-Jato está vacinada contra qualquer tentativa de embaraço, de esvaziamento, de bloqueio, ela se autonomizou. Não há conluio que a impeça de prosseguir”.


sábado, 28 de maio de 2016

Corrupção no Bolsa Família



NA FILA - Sem fiscalização eficiente, o dinheiro do contribuinte deixa de ir para quem precisa: é o “bolsa fraude”.

(ALEXANDRO AULER/VEJA)



Daria para fazer quase 30 000 casas pelo programa Minha Casa, Minha Vida. Somente entre 2013 e 2014, pelo menos 2,6 bilhões de reais do total da verba reservada ao Bolsa Família foram parar no bolso de quem não precisava.

A informação é resultado do maior pente-fino já realizado desde o início do programa do governo federal, em 2003. Feito pelo Ministério Público Federal a partir do cruzamento de dados do antigo Ministério do Desenvolvimento Social com informações de órgãos como Receita Federal, Tribunais de Contas e Tribunal Superior Eleitoral, o exame detectou mais de 1 milhão de casos de fraude em todos os estados brasileiros.

O Bolsa Família, um valor mensal a partir de 77 reais por pessoa, é destinado exclusivamente a brasileiros que vivem abaixo da linha da pobreza. A varredura mostrou, no entanto, que entre os que receberam indevidamente o auxílio no período estão funcionários públicos, mortos e até doadores de campanha.

O Brasil venceu a primeira batalha! A luta está apenas começando! FAÇA A SUA PARTE! 
#Compartilhe